‘Outros 500′ em terras capixabas

Bonés, chapéus e viseiras com o emblema "Outros 500" são marca do evento (Crédito: Reprodução do Facebook)
Bonés, chapéus e viseiras com o emblema “Outros 500″ são marca do evento (Crédito: Reprodução do Facebook)

“Uma festa onde as mulheres são VIPs não é novidade, já a forma como essas são selecionadas é que são outros 500″. Assim é feita a apresentação da festa “Outros 500″ em sua página no Facebook, um evento itinerante que os cariocas – mas só os VIP’s – conhecem bem. E que a coluna conseguiu desvendar o mistério sobre sua chegada no Espírito Santo.

A última edição foi em plena Marquês de Sapucaí, no Camarote Rio do carnaval. Antes – em 17 de janeiro – Outros 500 invadiu Búzios, e a próxima será no dia 16 de maio – e como a coluna informou com exclusividade, será na casa de ninguém menos do que o diretor Wolf Maya. No mês seguinte, chega a Vitória.

O local e a data exata a produção da festa ainda não divulgou, mas assim que CIRCUITO ES for desvendando esse mistério vocês saberão!

Nômades chegando
Na próxima sexta-feira (17), as atrizes Andrea Beltrão, Mariana Lima e Malu Galli chegam ao Espírito Santo, com a peça “Nômades”, no teatro Universitário (Teatro da Ufes), que faz parte da 7ª edição do Circuito Banescard de Teatro, com produção da WB Produções.

A peça…
… tem como fio condutor a morte. As três atrizes vivem atrizes que são surpreendidas pela morte precoce de uma quarta amiga, também atriz. Em um único dia, entre a notícia dessa morte inesperada e as últimas homenagens feitas no enterro, as três reagem de diferentes maneiras à dor dessa perda.

Malu Galli, Andrea Beltrão e Mariana Lima
Malu Galli, Andrea Beltrão e Mariana Lima
Jean e Juliano (Crédito: Divulgação)
Jean e Juliano (Crédito: Divulgação)

Pelas “zoropa
A dupla sertaneja Jean e Juliano embarca no dia 21 de abril para uma turnê na Europa. Os músicos se apresentam em Toscana e em Roma, na Itália. Antes de retornarem ao Brasil, eles passam também por Espanha e Portugal. A despedida dos cantores será na próxima sexta-feira (17), na boate Usina Club, na Serra.

“Já fomos nos apresentar na Europa outras vezes e o retorno do público é sempre muito positivo. Temos muito orgulho de representar a nossa música no exterior”, disse Jean.

Pouca ficha e muita fila
O que foi que houve com a organização do show do Gigantes do Samba, na última sexta-feira (10) na área verde do Álvares Cabral? Será que subestimaram SPC e Raça Negra? Um evento como esses e o número de fichas de cerveja era menor, muuuuuuito menor, do que a demanda. As filas não diminuíam, porque as fichas acabavam a cada cinco pessoas. Teve gente que precisou esperar cerca de 40 minutos para comprar a Brahma a um preço de R$ 7,00 a latinha. Podem perguntar ao chefe da Casa Civil do ES, Paulo Roberto. Ele estava lá, e viu!

A compensação
Se a organização (um tantinho desorganizada) não imaginava, o público tinha certeza: a apresentação das bandas comandadas por Luiz Carlos e Alexandre Pires, foi da melhor qualidade. Quase duas horas de muitos sucessos pra acabar com qualquer chapinha da mulherada – elas dançavam e cantavam de olhinhos fechados, a ponto de suar muito. Uma loucura!

Ah, já que falamos de político…
… o que foram as vaias recebidas pelos prefeitos de Vila Velha, Rodney Miranda, e Cariacica, Juninho, na missa de encerramento da Festa da Penha? Nem a santa pôde protegê-los.