Bastidores da passagem de Claudia Leitte por Guarapari

Claudia Leitte veste Água de Coco em seu tradicional show do dia 02 de janeiro no Multiplace Mais(Crédito Thiago Bonfim)
Claudia Leitte veste Água de Coco em seu tradicional show do dia 02 de janeiro no Multiplace Mais(Crédito Thiago Bonfim)

por Lucas Rezende

Claudia Leitte deixou Salvador, na Bahia, na noite do último sábado, com planos de pousar no minúsculo Aeroporto de Guarapari, mas, por causa da chuva e de problemas operacionais da pista na cidade-saúde, acabou chegando pelo Eurico Salles de Aguiar, em Vitória. De lá, seguiu para o Multiplace Mais, em Meaípe, de van e estacionou por volta de 00h. Simpática, educada e atenciosa, a loura demorou mais que devia no camarim – o que gerou vaias na plateia ansiosa – e deu um aviso de última hora: não apresentaria o prometido “Barzin da Negalora” e sim um show exclusivo para o Mais. O motivo? Receio do público achar o formato um pouco “parado”. Então, montou um set muito diferente, que rendeu mais de duas horas de show, com músicas como “Telegrama”, de Zeca Baleiro, sucessos antigos do tipo “Amor perfeito” e as mais novas como “Matimba” e “Cartório”.

Os antriões do Camarote 02 do Multiplace Mais - Mariana e Bruno Lawall (Foto Thiago Bonfim)
Os antriões do Camarote 02 do Multiplace Mais – Mariana e Bruno Lawall (Foto Thiago Bonfim)

Cadê o tapete, gente?
Como o “Barzin da Negalora” teria toda uma cenografia diferente, Bruno Lawall, proprietário do Multiplace Mais, chegou a levar o tapete de sua casa para o Mais, de forma com que a peça fosse usada para ornamentar o palco. Só que ninguém esperava a mudança de planos de La Leitte. Dada hora da noite, com o sucesso de público da casa, Lawall focava suas atenções na apresentação enquanto o tapete, ah, o tapete, quase já estava seguindo para Salvador. Sorte de quem lembrou e resgatou o dito cujo.

“Guarapari, Búzios, minha arte”
Claudia Leitte (que vestiu Água de Coco), aliás, bem lembra de um capixaba conhecido pela alcunha de Filipe Smith, aquele menino que, drogado, não falava coisa com coisa em uma edição da Red Room na Ilha do Boi, em Vitória, e ficou famoso após um vídeo com seus delírios viralizar. Ainda no hangar do aeroporto em Salvador, ainda de decolar, Claudia brincou com o bordão do rapaz: “Guarapari, minha arte!”. E gargalhava.

Bem acompanhada
Ivete Sangalo, por sua vez, não estava muito longe dali, na Pedreira. Ela chegou em seu jatinho particular com Dito, seu assistente pessoal há anos, e a expert em beauté Gil (que cuidou dela no “Superbonita”, do GNT). Por lá, Ivete também estava ao lado do amigo Gominho, repórter do Band Folia. Eles passaram o réveillon juntos na Praia do Forte. Ivete, na sequência do show, seguiu seu rumo e ele permaneceu no Espírito Santo, onde, ao lado de sua mãe e de seu pai, dormiu em Cariacica.

Web celeb
Gominho, aliás, achou a cidade “muito parada, sem nada para fazer”, mas, a coluna ficou sabendo que ele bem atraiu olhares nessa curta temporada capixaba, recebeu convite de um homem para ir, pela noite, para Vitória, mas, por ser, nas palavras dele, “muito longe”, e por estar chovendo, preferiu repousar em terras cariaciquenses.

Mimos
Voltando a falar de Ivete, ela recebeu de presentes dos fãs uma camisola (disse adorar dormir com a peça), uma squeezer e um chaveiro rosa em forma de coruja. Bastidores à parte, a Pedreira ficou abarrotada – mesmo com forte chuva que caía na cidade.

Ivete Sangalo mostrou o resultado de sua intensa rotina de malhação na noite do último sábado, em Guarapari. Crédito - Mônica Merlini
Ivete Sangalo mostrou o resultado de sua intensa rotina de malhação na noite do último sábado, em Guarapari. Crédito – Mônica Merlini

Prestígio
Perciles Mecenas, um dos sócios do Festival de Verão da Pedreira, veio direto do Rio de Janeiro para acompanhar de perto esse primeiro final de semana de shows pelo local. Se juntou aos capixabas Cícero Ribeiro, Kaedy Azevedo e Sandro Abreu. Ah, falando em Cícero, seu pequeno Davi – chamego de Ivete Sangalo – assistiu ao show da baiana de pertinho.