Falsos pacotes para show de Ivete são vendidos em Vitória

por Lucas Rezende

Quando essa coluna acha que já havia contado de tudo, nos aparece uma empresa vendendo um pacote falso para o show de Ivete Sangalo que será realizado no dia 01 de agosto na Área Verde do Álvares Cabral. A tal oferta consiste em assistir ao show de Ivete e de Tomate do alto mar, a bordo de uma lancha, tendo direito a um jantar (opcional). Tudo isso pela bagatela de R$ 119,00. Estaria tudo muito bem, tudo muito bom, se a organização do show não tivesse planejado a posição dos camarotes de uma forma com que tampasse total visão do mar. Logo, nem pedindo a Netuno o pacote conseguirá ser entregue a quem comprar. A Fatto Entretenimento, empresa produtora da festa Sunset Beach Club, vai tomar medidas judiciais cabíveis.

Os quatro diretores ou roteiristas dos projetos escolhidos no 2º Concurso Nacional de Webséries do 22º Festival de Cinema de Vitória vão receber acompanhamento da equipe da TV Cocriativa - na foto. Com eles, serão trabalhados conceitos básicos da produção audiovisual colaborativa contemporânea, com o intuito de incentivar o aperfeiçoamento profissional dos participantes. (Foto: Divulgação)
Os quatro diretores ou roteiristas dos projetos escolhidos no 2º Concurso Nacional de Webséries do 22º Festival de Cinema de Vitória vão receber acompanhamento da equipe da TV Cocriativa – na foto. Com eles, serão trabalhados conceitos básicos da produção audiovisual colaborativa contemporânea, com o intuito de incentivar o aperfeiçoamento profissional dos participantes. (Foto: Divulgação)

Sétima Arte
Contamos aqui que o escritor John Green e o ator Nat Wolff estiveram no Rio de Janeiro para divulgar “Cidades de Papel” (“Paper Towns”), longa que chega aos cinemas no próximo dia 7. Na história, dois adolescentes de ensino médio embarcam uma jornada metafórica rumo ao seu autoconhecimento, onde descobrem os verdadeiros valores da amizade, do amor e da individualidade de cada um. Pois bem. Nosso passarinho verde deu rasante no Copacabana Palace e chegou com o suprassumo do que a dupla falou por lá.

Mercado
Green comentou sobre fama de Midas que vem recebendo por suas publicações literárias e suas adaptações para o cinema. “Eu jamais imaginei que meus livros teriam tanto sucesso, muito menos que seriam traduzidos para o português e se tornariam best-sellers por aqui. Eu tenho muito a agradecer à minha editora. Não me considero responsável por essa mudança no mercado”, disse modesto.

Recordar é viver
Já Nat, bem humorado, lembrou de seus tempos da escola ao ser questionado sobre a identificação com a temática de “Cidades de Papel”. “Quando começamos a filmar, eu me senti em uma máquina do tempo, porque eu também era assim na escola: tinha dois amigos principais e experiências amorosas que foram um desastre”, contou.

Linguagem
O autor também foi falou sobre o desafio de usar uma linguagem que atinja os adolescentes, tendo 37 anos. “Eu acho incrível porque você tem duas formas de escrever normalmente: para crianças e para adultos. Os adolescentes ficam nesse meio-termo. Eles nunca vão sentir a magia de andar em um carrossel, por exemplo, mas passam por grandes momentos nessa fase: o primeiro amor, o primeiro luto e todos esses grandes questionamentos sobre a vida. Quando escrevi esse livro, eu tinha 28 anos e meio que ainda me considerava jovem. Depois eu descobri que, para os adolescentes, todos os adultos são velhos, apenas em níveis diferentes”, falou aos risos.

Alô, PROCON

Se ontem foi anteontem foi a Companhia TAM prestando um desserviço, hoje é a Livraria Saraiva. Amiga da coluna comprou três livros pelo site da empresa para retirá-los na loja física de um shopping da Ilha. A empresa só enviou dois, já que não tinha o terceiro em estoque.

Detalhe: não avisou da falta, e vendeu como se tivesse.

Não fosse o bastante, ainda fez duas cobranças no cartão da cliente. E você acha que ela está conseguindo contato com a Saraiva para fazer o estorno? Uma mariola para quem disse não.

Carol Dieckmann é a capa e recheio da Revista GQ Brasil de julho. A atriz falou que se separou de Marcos Frota pela distância e lembrou da época em que suas fotos nuas foram vazadas na internet e resultaram em  traumas e turbulências na época. “Me orgulho muito de ter pegado aquele limão e feito uma limonada incrível”. A edição já está nas bancas. (Foto: Paulo Vainer)
Carol Dieckmann é a capa e recheio da Revista GQ Brasil de julho. A atriz falou que se separou de Marcos Frota pela distância e lembrou da época em que suas fotos nuas foram vazadas na internet e resultaram em traumas e turbulências na época. “Me orgulho muito de ter pegado aquele limão e feito uma limonada incrível”. A edição já está nas bancas. (Foto: Paulo Vainer)