Descendo ladeira (ou grupo) abaixo

12439078_1047130612012600_2352919446108126772_npor Danieleh Coutinho

O atraso da Unidos de Barreiros, primeira escola de samba a desfilar no Sambão do Povo na noite do grupo especial, já deu e vai continuar dando o que falar. Primeiro é unânime: foi a pior apresentação entre as agremiações da elite do carnaval capixaba e já está com vaga garantida no acesso de 2017 – a coluna acredita que a Novo Império sobe e fica com a vaga. Segundo, ficou feio se apresentar pela metade e sem a presença do presidente, Jadilson Damascena. Aliás, cadê ele até agora? R: Respondendo mensagens de Facebook.

Esposo da rainha de bateria, Fabiola Monteiro, o jornalista Torino Marques, fez uma postagem com a foto de sua esposa e demonstrando grande insatisfação com o atraso da apresentação – cujo sinal verde foi dado às 21 horas em ponto, mas só entrou na avenida às 21H32m -, chamando-o de desrespeito com a comunidade. Ele foi apoiado por todos que comentaram. Menos Jadilson, que cobrou investimento por parte da rainha e seu esposo e chamou Torino e Fabiola de “drogados” e os mandou procurar outra escola para sambar.

Além de defesa do casal, membros da comunidade pediram a saída urgente do presidente. Já Torino revelou o que soube sobre o atraso: “Nós temos mensagens sua dizendo que iria declarar sua nova namorada em pleno Sambão”.

Nova rainha
Se depender dos pró-Jadilson, Fabíola Monteiro perderá a coroa de madrinha para Juliane Thomaz, que desfilou como destaque este ano – e é filha de Gisele Simon, que foi madrinha da escola no desfile de 2016. A menina contou á coluna que ao topar desfilar na escola, recebeu como promessa: “Você desfila este ano como destaque de chão, e no ano que vem você será a madrinha”.

Tem mais?
Claro que tem. Antes do desfile acontecer a costureira Nazareth Alves, que fez as fantasias das passistas e de parte da bateria, queimou tudo. Revoltada por não ter recebido – agora é que não deve receber mesmo – disse que incendiou tudo porque “perdeu a cabeça”. “Me sinto muito mal com minha atitude, mas chega uma hora na vida que não se pode engolir sapos”, explicou ela. Nazareth justificou ainda dizendo que foi humilhada.

Compromisso
O diretor de carnaval, Fabio Correia não sabia dizer onde e como quebrou o tal ônibus que levava a comissão de frente, que não chegou e nem desfilou. Também não sabia dizer se o desfile ia começar as nove ou às dez da noite de sábado. “Vou ter que apurar tudo. Desfilamos incompletos porque temos compromisso com o carnaval”, disse ele. E a coluna pergunta: Oi?

Madrinha da Novo Império, Márcia Santos deu o que falar (Crédito: José Augusto Tovar)
Madrinha da Novo Império, Márcia Santos deu o que falar (Crédito: José Augusto Tovar)

Se na Unidos de Barreiros o barraco – sim, barraco e não barracão – continua, na Novo império tem um ba fá fá rolando. Indiscutivelmente a madrinha da escola, Marcia Santos, é mais bonita que a rainha da bateria, Rayane Rosa. As duas desfilaram lado a lado, esbanjaram sorrisos e simpatia, mas nenhum entrosamento. Marcia, em entrevista recente a uma rádio, deixou claro que elas não são amigas, mas se respeitam.

Lindamente, a madrinha desfilou com uma coroa na cabeça. E quando viu postagem de um membro da diretoria imperiana agradecendo o apoio de Marcia e o bom desempenho da escola na avenida, a #RainhaRay logo tratou de reclamar e dizer que “esta moça não é a rainha”. Mas depois acabou apagando o post que fez em sua rede social.

A fantasia da Marcia Santos foi produzida por Flavio Rafalski é a representação da Palanca negra, um animal angolana. Nela continham 400 plumas, 2000 pedras, 5000 pontos de cristais e pesava dez quilos.

Carlos Roberto Coutinho e o prefeito de Vitória, Luciano Rezende, no camarote ESHOJE Folia (Crédito: Rodrigo Souza)
Carlos Roberto Coutinho e o prefeito de Vitória, Luciano Rezende, no camarote ESHOJE Folia (Crédito: Rodrigo Souza)

Tragédia anunciada
Um camarote se apresentou como o maior e mais elitizado de todos os tempos no Sambão do Povo. No cardápio as melhores marcas de bebidas e lanches de primeira. Chegando a ser abraçado por uma rede de comunicação. Mas quem trabalhou disse que a propagando foi mentirosa. E quem pagou por ele, disse que ficou sem ter o que consumir, porque estava lotado e comes e bebes não deu para quem quis.

Reciclagem
O desfile 2016 foi, sem dúvida, o da reciclagem. Carros reutilizados e até fantasias. Um exemplo foi da Piedade, onde a fantasia do mestre-sala e porta-bandeira já foi desfilada em outros dois carnavais: Império Serrano em 2006 e Acadêmicos do Cubango em 2013.

Independente disso, não se pode negar, a escola desceu a ladeira para o mercado da Vila Rubim com os componentes animados e a bateria ovacionada.