Ex-Novo Império é quem está à frente do Carnaval da MUG

Essa coluna passou uma semana falando que uma certa agremiação havia inserido um carnavalesco mais barato na finalização de seus trabalhos, no lugar do responsável oficial. Para variar, fomos desmentidos. Mas como a verdade sempre aparece, é público e notório que Carlito Carlos está trabalhando para fazer com que a MUG entregue suas fantasias à tempo. Tal tarefa deveria ser de Cid Carvalho, carnavalesco da Mangueira.

Nu com a mão no bolso
Baixaria total no acesso a um show em Guarapari dias atrás: um homem de meia idade começou a tirar a roupa no meio da multidão. Ficou só de sunga – fio dental, diga-se de passagem -, como se nada estivesse acontecendo. Pós-gritaria geral, a polícia local tratou de recolher o Adão capixaba com cacetetes e tudo.

Majestade
E o número de súditos de Lorena Bragatto, rainha da Unidos de Jucutuquara, só aumentam: entra domingo, sai domingo, os visitantes na quadra da escola para conferir a performance da loite e tietá-la com muita selfie se multiplicam.

O casal responsável por fazer o verão de Guarapari ganhar notoriedade nacional há 15 anos: Mariana e Bruno Lawall em clique exclusivo para a coluna. (Crédito: Thiago Bonfim)
O casal responsável por fazer o verão de Guarapari ganhar notoriedade nacional há 15 anos: Mariana e Bruno Lawall em clique exclusivo para a coluna. (Crédito: Thiago Bonfim)
No Camarote 01 - aquele que concentra o PIB do verão capixaba -, do Mais: Ana Paula Lawall e Marcelo Ulpiano. (Crédito: Thiago Bonfim)
No Camarote 01 – aquele que concentra o PIB do verão capixaba -, do Mais: Ana Paula Lawall e Marcelo Ulpiano. (Crédito: Thiago Bonfim)

Em pratos limpos
Começou a rolar na rádio-corredor que a boate internacional Pink Elephant sucumbiria aos braços da Royal Club pelo Brasil afora. Pois CIRCUITO foi saber a verdade da boca de Marcus Buaiz, proprietário da Royal, que garantiu que tudo não passa de boato. A Royal vai muito bem, obrigado, e sem fusão alguma. Voltemos a nossa programação normal.

Paladar aguçado
Já foi o tempo em que mendigos pediam moedas para comprar um cigarro ou um pãozinho. Dia desses, em calçada disputada na Praia da Costa, bairro nobre de Vila Velha, um andarilho pedia uns trocados para inteirar um “Baratíssimo”. Trata-se de uma novidade do fast food Subway. Chique ele, né?

GuaraPARIS. Farofar na praia, até vai (mais ou menos). Mas uma farofinha. Agora levar isopor, tábua, mesinha de apoio e até botija de gás, é demais. Tudo tem limite, não apenas município.

Inflação. CIRCUITO volta a informar a cotação da bala (aquela que não é de hortelã, caros leitores ingênuos) em balada elitizada: R$ 20.

Pancadão. Foi sucesso a festa Baixaria, regada a muito funk, na Fluente, na Praia do Canto, no último final de semana. Uma fila homérica madrugada afora.